Em Novo Hamburgo, indústria de materiais sintéticos adota energia solar

Publicado em de de

Maurício Sintéticos, indústria de Novo Hamburgo, tem praticamente toda produção abastecida por energia solar – economia, só no 1º ano, é de R$ 185 mil

A energia solar tornou-se a principal fonte de abastecimento da Mauricio Sintéticos, fabricante de produtos sintéticos de Novo Hamburgo, no Vale dos Sinos. Concluído recentemente pela equipe da Elysia, o sistema fotovoltaico da empresa atende a 99% da demanda energética. Em um ano, a previsão é de que a energia limpa resulte em uma economia de R$ 185 mil – o que equivale a uma redução mensal de aproximadamente 92%.

Projetado pela equipe de engenharia da Elysia, o sistema de energia solar instalado na Maurício Sintéticos é composto por 364 painéis fotovoltaicos, cuja função é captar a luminosidade solar. Esses equipamentos estão conectados a três inversores da WEG (empresa parceira da Elysia). Os inversores, por sua vez, são componentes que têm a importante função realizar a troca de corrente energética. 

Quer entender como funciona um sistema fotovoltaico?

A capacidade média mensal do sistema é de gerar 18.632 kWh. O que não significa que a empresa tenha de consumir toda a geração. O sistema brasileiro de geração distribuída permite que a energia excedente – ou seja, a não consumida – seja injetada no sistema de distribuição da concessionária. E o que for injetado, será abatido nas próximas faturas de energia elétrica. Há, ainda, a possibilidade de utilizar esse crédito em outro imóvel do mesmo CNPJ.

Diferencial da energia solar na indústria

Para o setor industrial, hoje, não há investimento mais importante do que a energia solar. A realidade que se impõe é: a empresa que ainda não produz energia fotovoltaica está perdendo tempo de economizar recursos, alavancar o negócio, elevar a competitividade e demonstrar comprometimento com o meio ambiente. Ou seja, a empresa do ramo industrial que ainda não investiu em energia solar, fica para trás.

A Maurício Sintéticos, porém, escolheu o momento ideal para realizar o investimento. Decidiu concretizar a instalação antes de janeiro de 2023 e irá se encaixar dentro das anteriores ao Marco Legal de Geração Distribuída, que garantem um retorno mais rápido do investimento. Com isso, a projeção é de que a empresa obtenha o retorno em apenas 3 anos.  

Maurício Sintéticos fica protegida da inflação energética

A produção de uma energia limpa fez com que a Maurício Sintéticos já perceba uma série de vantagens. Talvez uma das mais importantes seja a proteção contra a inflação energética. O que isso significa? Nada mais é do que uma proteção contra futuros aumentos tarifários, uma vez que você gera uma energia de forma independente. Em miúdos, isso quer dizer que, com um sistema fotovoltaico, você pode ficar tranquilo: esses aumentos que vemos por aí não irão mais afetar o caixa da sua empresa.



ISSO PODE SER INTERESSANTE TAMBÉM:

, , ,

Energia limpa: crescimento de 50% em 2023

Continue lendo
ons prevê nivel baixo de reservatorios

Alerta do ONS: níveis das hidrelétricas no Brasil podem chegar a 36% até julho 

Continue lendo

, ,

Recorde de demanda de energia: Sistema Interligado Nacional responde com eficiência e sustentabilidade 

Continue lendo

, , ,

Brasil já adicionou 2 GW de energia solar em 2024 

Continue lendo