Sustentabilidade empresarial - Elysia energia solar comercial

Como fica para quem investir em energia solar após 7 de janeiro de 2023?

Publicado em de de

Mudam algumas regras, mas o investir em energia solar após janeiro de 2023 ainda será um rentável, atrativo e seguro

Sem dúvida, adquirir seu sistema de energia solar antes de 7 de janeiro de 2023 é o ideal. Fazendo isso, você garante a isenção da cobrança de taxas até pelo menos 2045. Mas, é claro, isso não será possível para todos. No entanto, caso você só possa investir após a data da entrada em vigor do Marco Legal, não se preocupe: a energia solar ainda será um investimento rentável, atrativo e seguro.

Faça agora um orçamento gratuito de energia solar para o seu imóvel

Sabe por quê? Porque o novo Marco Legal da Geração Distribuída criou uma regra de transição para quem investir em energia solar após janeiro de 2023. Ou seja: a regra assegura que o investidor só irá pagar 100% da taxa a partir de 2029.

Conheça o Renda Solar, uma forma de investir e ganhar dinheiro com energia solar

Veja como ficou essa regra de transição:

– 15% em 2023 e 30% em 2024;

– 45% em 2025 e 60% em 2026;

– 75% em 2027 e 90% em 2028;

– todos os encargos a partir de 2029.

O que pode ocorrer neste caso, no entanto, é um prazo de retorno do investimento um pouco mais longo, a depender do tamanho do sistema fotovoltaico. Contudo, as regras de transição formuladas diminuem o impacto da cobrança de taxas. Além disso, dependendo do tamanho do sistema fotovoltaico, as condições de retorno do investimento podem permanecer relativamente semelhantes ao prazo de antes do Marco Legal

Marco Legal trouxe a segurança jurídica que faltava

Para muitos empresários e empreendedores, essa era a lei que faltava para destravar os investimentos em energia limpa. Agora, portanto, o setor de energia fotovoltaica brasileiro possui um regramento jurídico que assegura a estabilidade do investimento no curto, médio e longo prazo. Ou seja: há todas as condições para você investir em energia solar, economizar no custo energético da sua empresa e ajudar o país a produzir mais energia limpa e renovável.  

Entre diversas inovações e regramentos, o Marco Legal pacificou o tratamento regulatório da energia solar e já destravou investimentos que estavam até então reprimidos pelos investidores. A prova disso é a chamada corrida pela energia solar, que ocorre neste exato momento no país. Isso porque, como reiteramos semanalmente aqui, o retorno do investimento será mais rápido e atrativo para quem investir em energia solar até janeiro de 2023.

O Marco Legal estabelece que, após o período de transição, os geradores de energia solar ficarão sujeitos às regras tarifárias da ANEEL e se cobrará pela incidência, sobre a energia de todas as componentes tarifárias não associadas ao custo. No entanto, no cálculo da conta de luz, considera-se os benefícios que a produção de energia solar proporciona ao país. Ou seja: os atuais subsídios não existirão, mas, por outro lado, os produtores de energia solar serão remunerados pelos benefícios ambientais e sistêmicos.



ISSO PODE SER INTERESSANTE TAMBÉM:

ons prevê nivel baixo de reservatorios

Alerta do ONS: níveis das hidrelétricas no Brasil podem chegar a 36% até julho 

Continue lendo

, , ,

Desindustrialização brasileira atribuída ao aumento do custo de energia, afirma diretor da Aneel 

Continue lendo

Tendência de subsídios na ANEEL: energia renovável supera combustíveis fósseis na conta de luz brasileira 

Continue lendo
Energia solar comercial Rio Grande - Elysia sistema fotovoltaico RS

,

Como a energia solar impulsiona a abordagem ESG e atrai consumidores?

Continue lendo