Energia solar pegada ecológica Gravataí - Elysia sistema fotovoltaico Grande Porto Alegre

Com energia solar, fabricante de móveis de madeira de Gravataí diminui pegada ecológica de sua produção

Publicado em de de

Premade, de Gravataí, atinge independência energética e diminui pegada ecológica da produção com geração de energia solar – retorno do investimento deve ocorrer em cerca de três anos

Fabricante de móveis de madeira rústica, a Premade, de Gravataí, deu um salto sustentável na sua linha de produção. Mirando mais economia e sustentabilidade, a empresa inaugurou recentemente seu primeiro sistema de energia solar fotovoltaica – tudo com uma solução completa da Elysia. O investimento, primordialmente, além de proteger a Premade dos novos reajustes de energia elétrica, proporciona ao negócio a tão almejada independência energética.

Localizado no passo do Hilário, em frente ao Pampa Safari, o imóvel comercial da Premade passa a ser abastecido integralmente pela energia produzida pelo sistema fotovoltaico. Isso ocorre, primeiramente, em razão de as 78 placas solares monocristalinas terem a capacidade de gerar mensalmente cerca de 2.350 kWh. Esse é consumo mínimo da empresa. A energia gerada a mais, com efeito, pode ser convertida em créditos – com possibilidade de serem abatidas em outros imóveis da Premade.

Indo para os números, a energia solar começa a deixar mais claro seus benefícios. Em um ano, a previsão dos técnicos da Elysia é de que a empresa economize aproximadamente R$ 21 mil no custo de energia elétrica. Uma redução, portanto, mais do que significativa. Trata-se, vale dizer, a uma redução média de 84% na conta de luz.

Retorno do investimento em energia solar começa no primeiro dia de funcionamento

O horizonte de novos – e pesados – reajustes na tarifa de energia elétrica transforma o investimento em energia solar ainda mais rentável. Apenas este ano, aliás, a previsão é de que os brasileiros tenham um aumento médio de 14,5% na conta de luz. Soma-se a isso o cenário de crise hídrica, que vai potencializar a inflação energética no país. 

O retorno do investimento feito pela Premade está previsto para cerca de 3 anos, conforme projeção da Elysia. Essa, aliás, é a média de tempo de retorno para imóveis comerciais. Se incluir nesse cálculo fatores indiretos, como a valorização imobiliária e o fortalecimento da marca da empresa, o retorno do investimento, podemos dizer, já chega no primeiro dia de operação do sistema fotovoltaico.

Fabricante de móveis de madeira colabora com a natureza

A geração de energia solar da Premade vai impactar positivamente na redução da pegada ecológica produtiva. Em um ano, a estimativa é de que ocorra uma redução de 20.000 kg de CO2 na atmosfera. A empresa, portanto, com a energia limpa, colabora na preservação dos recursos naturais e, ainda, desafoga o sistema de geração elétrica brasileira, ainda muito dependente das chuvas.

Empresa que possui o selo “Amiga do meio Ambiente”, a Premade está no mercado desde 1978, sempre inovando e modernizando seus produtos, oferecendo aos seus consumidores qualidade e um design rústico, característico do Pampa. O foco da empresa é a fabricação de mobiliário para ambientes com churrasqueiras, como conjuntos de mesa e bancos, que são o carro-chefe da linha de produção.



ISSO PODE SER INTERESSANTE TAMBÉM:

Energia solar em cervejaria de Porto Alegre - Elysia sistema fotovoltaico em empresas

, ,

5 empresas que investiram em energia solar e estão livres dos aumentos na conta de luz

Continue lendo
Energia solar Jardim Itú Sabará Porto Alegre - Elysia sistema fotovoltaico POA

, ,

Imóvel residencial do bairro Jardim Itú Sabará, em Porto Alegre, adota energia solar

Continue lendo
Energia solar oficina mecânica Porto Alegre - Elysia sistema fotovoltaico RS

, ,

Oficina mecânica de Porto Alegre consolida compromisso ambiental com investimento em energia solar

Continue lendo
Energia solar agronegócio - Elysia sistema fotovoltaico Rio Grande do Sul

, ,

Energia solar é a garantia de sustentabilidade econômica e ambiental para o agronegócio

Continue lendo