mercado livre de energia

Em dois meses, mais de 4,4 mil consumidores decidiram pelo Mercado Livre de Energia 

Publicado em de de

O movimento de migração para o Mercado Livre de Energia continua ganhando velocidade no Brasil. Nos primeiros dois meses deste ano, 4.403 consumidores notificaram sua intenção de deixar o mercado regulado entre 2024 e 2025. 

De acordo com dados atualizados pela ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) e apurados pelo Canal Solar, somente em fevereiro, 2.244 unidades optaram pela liberdade de escolher seu fornecedor de energia. 

Relatório aponta regiões que mais optaram pelo mercado livre de energia

O relatório de migração potencial revela que um total de 19.035 consumidores planejam ingressar no ACL (Ambiente de Contratação Livre) entre 2024 e 2025. Desse grupo, 94,66% (18.018) são unidades com consumo inferior a 500 kW, classificadas como clientes varejistas. 

Faça aqui seu orçamento de energia solar

As distribuidoras que mais perderam clientes são Copel (Paraná), Enel SP (São Paulo), Celesc (Santa Catarina), CPFL Paulista (São Paulo), Cemig (Minas Gerais), RGE (Rio Grande do Sul), Neoenergia Elektro (São Paulo), ENEL CE (Ceará) e Light (Rio de Janeiro). 

A evolução do potencial de migrações mostra um crescimento contínuo: 

– 14.632 Unidades Consumidoras (31/12/2023) 

– 16.791 Unidades Consumidoras (31/01/2024) 

– 19.035 Unidades Consumidoras (29/02/2024) 

A distribuição das migrações por região do país é a seguinte: 

– Sudeste: 8.597 UC (45,16%) 

– Sul: 5.038 UC (26,46%) 

– Nordeste: 3.726 UC (19,57%) 

– Centro Oeste: 1.158 UC (6,08%) 

– Norte: 519 UC (2,72%) 



ISSO PODE SER INTERESSANTE TAMBÉM:

mercado livre de energia

Mercado livre de energia registra movimentação de R$ 100 bilhões em 2023

Continue lendo
Energias renováveis

Energias renováveis representarão 37% da geração elétrica global até 2026, afirma AIE

Continue lendo
importação de módulos

Recorde: Trimestre registra o maior volume de importação de módulos FV na história do Brasil

Continue lendo
tarifas de energia elétrica

Medida provisória de redução das tarifas de energia assinada pelo presidente

Continue lendo